Portfólio

 

O processo de licenciamento ambiental do projeto turístico imobiliário Reserva Privilege, contou com o trabalho da Marrikah Consultoria deste as etapas preliminares de planejamento para a concessão das licenças ambientais para o empreendimento.

A Marrikah realizou os estudos ambientais do meio socioeconômico e é responsável pela gestão social do empreendimento junto às comunidades que fazem parte das áreas de influência do Reserva Privilege.

Os investidores do empreendimento optaram por iniciar a gestão socioambiental com o investimento social privado em uma das comunidades da AID do empreendimento, como forma de avaliar os resultados da atuação e posteriormente partir para um programa de atendimento de condicionantes mais amplo.

 

1. O Projeto

Assista aqui:   Projeto Jasmim do Campo Seco

jasmimdocamposeco1

O projeto Jasmim do Campo Seco consiste em um macroprojeto que engloba, atualmente, outros dois núcleos: o projeto Au do Campo Seco e o projeto Empreendedorismo Social. Este último, por sua vez, é dividido em outras duas iniciativas. Este conjunto de projetos sociais foi implementado no município de Itacaré desde 2009, através do investimento social privado vinculado ao Projeto Reserva Privilege.

Foram realizados contatos para aproximar o poder público local à comunidade do Campo Seco, verificando quais ações no âmbito social já haviam sido executadas e quais estavam em pauta, de forma a contribuir para o direcionamento dessas ações para a comunidade. Também buscou-se estabelecer parcerias com organismos de diversas esferas. Foram visitados o SEBRAE Ilhéus, a Universidade Estadual Santa Cruz – UESC, a Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira – Ministério da Agricultura

Pecuária e Abastecimento – CEPLAC, e na oportunidade foram apresentadas as etapas de implantação das atividades na comunidade do Campo Seco, o perfil social das pessoas que ali vivem e as ações propositivas sugeridas em função das características dessa população.

2. Diagnóstico Socioeconômico 2010

Aplicado na referida comunidade em janeiro de 2010, possibilitou obter um perfil da população do Campo Seco, relativa aos âmbitos sociodemográficos, educacionais profissionais e econômicos, de forma a direcionar os projetos sociais a serem implantados.

Através do retrato social visualizado após a realização do diagnóstico socioeconômico, as primeiras ações na comunidade foram sendo delineadas e implantadas, casadas com a realidade social na qual os moradores do Campo Seco se enquadram e com a bagagem trazida após o estabelecimento das relações com o poder público e com as organizações supracitadas.

3. Projeto  Au do Campo Seco

Marca do projeto AU do Campo Seco

 O Projeto Au do Campo Seco nasceu, quando da realização do diagnóstico socioeconômico, da percepção da quantidade importante de crianças que moram no Campo Seco, e que não possuíam atividades culturais ou de lazer, além de serem atendidas por uma escola que não apresenta atrativos para manter interessadas as crianças em idade escolar. O projeto, de caráter mobilizador e educativo, parceiro da escola instalada na comunidade, é voltado para o ensino da capoeira. As crianças participantes receberam fardamento para as aulas, e ao final de cada dia de aula, recebem o lanche, de modo a complementar suas necessidades nutricionais. O lanche é produzido pelas mulheres da comunidade, participantes do projeto Empreendedorismo Social e mães das crianças integrantes do projeto.

capoeiramelhor

Crianças na aula de capoeira – Projeto AU do Campo Seco

4. Empreendedorismo Social 

O projeto Empreendedorismo Social possui o objetivo de fomentar a autossustentabilidade a partir da geração de renda. Subdividido em 2 ações – Gastronomia Social e Lavadeiras do Campo Seco, o projeto promove a instrumentalização de seus participantes de modo a buscarem fonte de renda a partir de seus talentos e recursos locais.

4.1. Gastronomia Social

O projeto capacita as mulheres da comunidade do Campo Seco para a produção de alimentos, através de cursos de Boas Práticas
Alimentares que seguem as normas de segurança alimentar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Com isso, as mulheres têm a possibilidade de gerar renda para suas famílias com o fornecimento dos lanches para os alunos do Projeto Au do Campo Seco, ou ainda para venda em outros locais.

Aula de Boas Práticas Alimentares

Aula de Boas Práticas Alimentares

4.2. Lavadeiras do Campo Seco

A lavagem das fardas dos alunos é realizada na própria comunidade por uma das mães dos integrantes do Projeto Aú do Campo Seco. A necessidade da implantação deste mecanismo se deu para sanar a dificuldade de manutenção das fardas, dada a carência de roupas por parte da comunidade.

5.  Outras ações já implementadas pelo projeto Empreendedorismo Social

5.1. Mapeamento de produtos  locais 

Artigos de decoração, vestuário, bijuterias, alimentos e outros itens foram descobertos durante as observações de campo realizadas nas comunidades localizadas no entorno de Itacaré. Com base nessas informações, um catálogo contendo esses produtos foi criado, com o telefone para contato direto das artesãs. O objetivo é que este catálogo seja divulgado entre os empreendedores locais e regionais, turistas que visitam Itacaré e intermediadores que compram produtos na região para revendê-los em outros locais do Brasil e do Mundo.

mapeamento

mapeamento1

Respectivamente, capa e conteúdo do folder de mapeamento dos produtos locais.

5.2. Curso de elaboração de projetos

Em agosto de 2011, foi realizado, na Associação Tribo do Porto, o Curso de Elaboração de Projetos, voltado para os membros da Associação e da comunidade em geral. O curso teve o objetivo de fornecer instrumentos para estimular a escrita de projetos que possam concorrer a editais de seleção de projetos sociais, possibilitando a captação de recursos para sua comunidade ou associação de qualquer natureza.

Curso de Elaboração de Projetos

Curso de Elaboração de Projetos

6. Resultados alcançados

A desconfiança e a descrença, geradas devido a tantas outras promessas não cumpridas; a expectativa de uma possibilidade iminente de complemento na renda familiar e na qualidade de vida; a esperança de uma melhor formação educacional para seus filhos. A chegada de uma nova proposta de investimento social em uma determinada localidade gera diversos sentimentos e impressões naqueles que serão diretamente atingidos pela realização de projetos sociais.
Na comunidade do Campo Seco, esse comportamento não foi diferente. Durante as primeiras reuniões e mobilizações, a aderência dos moradores foi mínima. Entretanto, com o passar do tempo, as relações foram sendo estabelecidas e a confiança passou a se instalar entre moradores e equipe de execução das ações, possibilitando a implementação dos primeiros movimentos dentro da comunidade, o que ocorreu em 2010.
Desde a chegada dos projetos sociais, muitas transformações foram sentidas, e aos poucos a população passou a acreditar nas possibilidades de mudanças positivas que poderiam ocorrer através da participação nos projetos sociais.

Hoje é possível ver que os moradores do Campo Seco acreditam nos projetos como elemento motriz para o desenvolvimento pedagógico das crianças e para a melhoria da qualidade de vida das famílias atendidas, através da fonte de renda obtida pelo fornecimento de lanches. A relação de confiança que está sendo enraizada ao longo do período de realização do macroprojeto Jasmim do Campo Seco possibilita a implementação de outras ações, visando benefícios à população residente na comunidade do Campo
Seco, de forma direta e indireta, pautados nas premissas da Sustentabilidade e da Responsabilidade Social Empresarial, princípios que permeiam a implementação do empreendimento Reserva Privilege no município de Itacaré.

Com os resultados destas ações sociais temos a certeza de que as comunidades não se desenvolvem de fora para dentro ou de cima para baixo mas, de dentro para fora. É certo que o apoio vindo de fora pode balizar o rumo e fortalecer a qualidade das conquistas para o alcance de um desenvolvimento comunitário mais sustentável.